O poder de esconder ou apressar algo deveria ser público... por Claudiney Bravo

O poder de esconder ou apressar algo deveria ser público... por Claudiney Bravo

A comunicação é algo intrínseco ao ser humano. Afinal, o homem é um ser social e essa sociabilidade se dá por meio da comunicação. Essa comunicação se dá de diversas formas, nas mais variadas manifestações, e uma delas é através da imprensa. No Brasil, a imprensa surge em 1808, após a chegada da família real portuguesa. Porém, é somente com a promulgação da Constituição Federal de 1988, que ficou garantida a liberdade de imprensa, assim como a liberdade de expressão.

A imprensa escrita, falada, televisionada e agora, nos dias de hoje, digitalizada, se caracteriza por ser um poderoso instrumento de formação da opinião pública. Por isso, hoje se adota a idéia de que a imprensa exerce uma função social que consiste, num primeiro momento, transmitir aos poderes constituídos qual o pensamento e a vontade popular. Além disso, a imprensa também exerce o papel de defesa contra atos de excesso e abuso de poder e ainda pratica o controle sobre a atividade político administrativa.

Cá na terrinha, quando há uma notícia que desagrada tanto o prefeito quanto aos vereadores, parece que o mundo desaba. O título da matéria do TERRATAVARES que afirma que houve uma má divulgação sobre a sessão legislativa que criou 11 cargos de assessores incomodou alguns vereadores. A bem da verdade é que o TERRATAVARES recebeu um e-mail afirmando que a sessão legislativa aconteceria para analisar e, porventura aprovar, o Regimento Interno da Câmara de Vereadores.

Em momento algum a pauta do e-mail fala da análise do projeto lei da Reforma Administrativa e seus 81 artigos. Percebam, 81 artigos contemplam ao projeto de lei. Durante a sessão, ficou a impressão que só interessava aos vereadores o tal artigo que criava os tais cargos. Afinal, na sessão legislativa que aprovou a Reforma Administrativa, só se discutiu esse artigo que criava os tais cargos. Apenas um vereador falou superficialmente que também existia outros cargos a serem criados.

Como um dos editores do portal, vale ressaltar que o TERRATAVARES não é contra a criação desses cargos, mas sim contra a falta de transparência de como aconteceu. Sabemos que uma grande maioria dos vereadores cá da terrinha precisam mesmo de assessoria, mesmo porque não dominam vários assuntos. Isso é normal.

Nossa opinião, é que isso deveria ter sido feito separadamente e muito bem divulgado, para tudo não parecer uma grande armação.

Segue o enterro...

______________________________________

CLAUDINEY BRAVO editor adjunto do TERRATAVARES; produtor de Eventos Culturais, designer gráfico e provocador político.