Polêmica do CEMUS V continua, discussão chega a Câmara Municipal

Prefeitura está mudando o Fundamental II para a escola Maria Constança, no Jd. Vila Flora.

Polêmica do CEMUS V continua, discussão chega a Câmara Municipal

A professora Talita Simão da Silva fez uso da palavra na Tribuna Livre, demonstrando o seu posicionamento contrário ao fechamento do Ensino Fundamental II do CEMUS V (localizado no bairro São Judas), uma vez que a Secretaria Municipal de Educação anunciou que pretende não abrir salas do 6º ano do Ensino Fundamental II, na referida unidade escolar. Os vereadores, em sua grande maioria, apoiaram a causa, e demonstraram ser contrários a alteração proposta. O vereador Antonio Cordeiro reforçou a luta pelo coletivo da região da CEMUS V e Henrique Balseiros complementou que a falta de diálogo da administração tem causado todos estes problemas.

Vinicius Saudino afirmou que o prefeito Laerte Sonsin Jr. está com a decisão mantida. Já Daniel Bertani foi na linha que faltou um diálogo construtivo e que como eles tem a caneta, e que a decisão já estava tomada. Lembrou ainda que o Fundamental 2 no Cemus V, é um projeto piloto de 30 anos que não foi levado adiante por nenhuma gestão, e por isso o serviço não foi ampliado. O vereador Fábio Jorge reforçou que a falta de comunicação resultou nesta decisão, e demonstrou preocupação com a abertura de um processo administrativo contra a professora Talita Simão somente por ter exposto sua opinião sobre o assunto em praça pública e nas redes sociais. Uma atitude, segundo o vereador, uma atitude desrespeitosa e autoritária da prefeitura.

O prefeito Laerte Sonsin Jr. afirmou ao TERRATAVARES que como está sendo divulgado o assunto, é errônea. "Nós não vamos encerrar o Fundamental 2, nós vamos ampliar. Hoje são apenas 30 alunos da Cemus V que tem acesso a esta etapa e que no Maria Constança, o número será ampliado para 60 vagas em 2022 e 90 vagas em 2023, sendo que uma turma de 30 alunos será exclusiva para os alunos da Cemus V".