Siglas políticas variam entre silêncio e expulsão de filiados envolvidos na selvageria que aconteceu em Brasília

Partidos com filiados suspeitos de participação nos ataques no último domingo, 8, variam do silêncio sobre providências à decisão de expulsar sumariamente membros com envolvimento no atentado antidemocrático

Siglas políticas variam entre silêncio e expulsão de filiados envolvidos na selvageria que aconteceu em Brasília

Algumas siglas já anunciaram o expurgo dos golpistas. O PSD, presidido por Gilberto Kassab, divulgou nesta terça-feira, 10, uma resolução da Comissão Executiva Nacional, elaborada em reação ao levante, que prevê a saída imediata de quem teve relação com a selvageria ocorrida. O PL, que tem deputados eleitos entre os suspeitos de comparecerem ou darem apoio à invasão, disse estar esperando uma posição da Executiva Nacional para se manifestar.

O PP, outro partido com integrantes suspeitos de atuação direta ou indireta no protesto violento, também está em silêncio sobre eventuais punições. A legenda ainda não se posicionou como procederá em relação aos casos. O Republicanos diz que "filiados que, eventualmente, sejam identificados pela Justiça como participantes ou financiadores dos atos antidemocráticos serão penalizados com a desfiliação do partido". O Cidadania também segue a mesma linha.