Vereador Cordeiro encaminha 5ª denúncia contra o Executivo ao MP

Nova denúncia tem como ponto central a contratação de artista para construção de cenário de dinossauros no Parque Rocha Moutonnée

Vereador Cordeiro encaminha 5ª denúncia contra o Executivo ao MP

O vereador Antônio Cordeiro (PT) vai protocolar nesta semana a quinta denúncia ao Ministério Público contra o prefeito Laerte Sonsin Júnior e sua gestão. O foco desta vez será o contrato sem licitação firmado com uma empresa, no valor de R$ 675 mil, para trabalhos cenográficos no Parque Rocha Moutonnée, onde há diversas réplicas de dinossauros.

Cordeiro vai pedir ao MP que avalie a contratação desta empresa e se realmente há condições para a contratação excepcional. O vereador lembra que dezenas de prefeitura têm enfrentado problemas com a Justiça por contratações com base nesta lei, de trabalhos artísticos, como de cantores sertanejos, a preços exorbitantes e fora da realidade de cada local. Conjuntamente a este, pede-se que sejam apuradas eventuais irregularidades quanto à aplicação da Lei de Acesso à Informação, considerando que o processo de contratação não cumpre com as exigências mínimas de transparência.

Relembre

A 1ª denúncia encaminhada ao MP pediu ao órgão para avaliar a atuação do prefeito Laerte e seu secretário Márcio Conrado, se cumpriram as leis que exigem, na audiência pública da Saúde, o relatório detalhado das finanças da área, aprovado previamente pelo Conselho Municipal de Saúde.

A segunda denúncia pede ao MP que avalie a legalidade de Salto fazer contratações emergenciais seguidas para a gestão do Hospital, sem licitação, gerando despesas elevadas sem que haja manutenção dos prédios do Hospital e dos seus equipamentos, respeito às leis trabalhistas e melhora do atendimento à população, sendo comum os relatos de insatisfação da população.

A terceira denúncia envolve o dano causado pela cheia do rio Jundiaí, em fevereiro, na Rua Marechal Deodoro, na Barra. O imenso buraco aberto no barraco, na calçada e parte do leito da rua até esta semana não foi consertado e a Prefeitura sequer abriu a licitação para a obra. Há risco de chuvas elevarem o leito do rio, ampliar o buraco e atingir as casas históricas.

A última denúncia, protocolada na semana passada, envolve a Clínica Moutonnée, um amplo e moderno prédio construído em 2020 e entregue em dezembro daquele ano. O prédio, na Estrada Rocha Moutonnée, foi projetado para atender a milhares de pessoas que moram na região do Salto de São José, São Pedro e São Paulo, Madre Paulina, Guaraú e outros bairros. "Não há argumento que justifique tanta demora. O povo sofre com o atendimento precário em um posto projetado e inaugurado no começo dos anos 90. É vergonhoso aquele prédio gigantesco fechado, ao léu e o povo sofrendo", destaca.