Após paralização, Hospital Municipal "Nossa Senhora do Monte Serrat" volta a funcionar dentro da normalidade, nesta tarde de todos os Santos

Médicos, funcionários e prestadores de serviço reclamam de atrasos nos pagamentos que somam 102 dias. Situação foi temporariamente apaziguada por volta de 12h30.

Após paralização, Hospital Municipal "Nossa Senhora do Monte Serrat" volta a funcionar dentro da normalidade, nesta tarde de todos os Santos

Segundo noticiado no site G1, os médicos, funcionários e prestadores de serviço do Hospital Municipal "Nossa Senhora do Monte Serrat", entraram em greve na manhã desta segunda-feira, 1º de novembro, com a argumentação de atrasos do pagamentos de - pelo menos - quatro meses. Segundo informações, o atendimento nesta manhã, estava sendo feito somente em casos de urgência e emergência.

O TERRATAVARES obteve a informação que a situação se normalizou por volta de 12h30, após uma reunião entre o prefeito, representantes da Secretaria da Saúde, médicos, advogados e representantes da atual gestão do hospital. Durante o encontro, foi agendada uma nova reunião para a próxima quarta-feira, 3, entre representantes da prefeitura e os advogados dos médicos grevistas. Ainda segundo o G1, na próxima quinta-feira, 4, outra conversa com a gestão anterior e grevistas será realizada para tentar consolidar uma negociação.

Os médicos estão reclamando da falta de pagamento dos meses de março, abril, setembro e outubro de 2021, período equivalente a 102 dias. Ainda segundo o G!, pelo menos outros 88 profissionais também aderiram à greve. Já o Sindicato da Saúde informou que 60% dos funcionários do hospital estão sem receber. Ao todo, são mais de 400 trabalhadores na unidade. O TERRATAVARES recebeu uma mensagem do secretário municipal da Saúde Márcio Conrado, às 13h28, que tudo já estava normalizado. Pelo menos por hora.

O presidente do Conselho Municipal da Saúde, Thiago Isola, já havia alertado quando da contratação da 'Caminho de Damasco' que os valores destinados ao pagamento dos médicos não eram suficientes. Mesmo com o alerta do Conselho Municipal da Saúde, os gestores da Saúde desconsideraram o fato:


O Hospital Municipal "Nossa Senhora do Monte Serrat", hoje é gerido pela "Beneficência Hospitalar de Cesário Lange", que o assumiu no último dia 6 de outubro, sob um contrato emergencial de 180 dias. Anteriormente, a "Sociedade Beneficente Caminho de Damasco" é quem fazia a gestão do hospital, também através de um contrato emergencial de 180 dias, no valor de R$ 4,2 milhões. No entanto, a empresa desistiu da gestão e deixou a dívida com os funcionários para trás.

A "Caminho de Damasco" informou à TV TEM, que na última sexta-feira, 29 de outubro, oficializou uma ação de cobrança na Justiça contra a Prefeitura da Estância Turística de Salto, com um valor superior a R$ 7,5 milhões de reais, referentes a um déficit no orçamento do hospital no período de sua gestão. Informou ainda que vários ofícios foram enviados à Prefeitura avisando que o valor do repasse não era suficiente para cobrir as despesas do hospital, lamentando a situação criada e que está tentando negociar com todos os envolvidos para regularizar todas as pendências.

O prefeito Laerte SonsinJr. confirmou que recebeu os ofícios enviados pela empresa, mas disse que as justificativas não foram suficientes para que ele autorizasse o aumento no valor dos repasses.