Dicas para conviver com seu cão cego...

Cuidar do cão é uma atividade levada com carinho e cuidado por muitos donos de pets.

Dicas para conviver com seu cão cego...

Dar aten√ß√£o, amor e disciplina requer tempo, dedica√ß√£o e muitas vezes até dinheiro por parte da família. Isso se multiplica quando se trata de c√£es com necessidades especiais - porém, o amor também vem em dobro! Com a criatividade e empenho, cuidar de um c√£o cego, por exemplo, pode ser tornar algo tranquilo e pr√°tico de se fazer. Os motivos para um c√£o ficar cego podem ser v√°rios. Alguns j√° podem ter desenvolvido desde jovens como consequ√™ncia de alguma doen√ßa ou vírus (doen√ßa do carrapato ou glaucoma) ou com a velhice (assim como os seres humanos, é normal que os c√£es comecem a perder os sentidos à medida que envelhe√ßam. Algumas das causas é a catarata canina ou a degenera√ß√£o de retina).

Seja qual for o motivo, é possível, sim, conviver com um c√£o cego! Lembre-se: o sentido mais importante do c√£o é o olfato!

Muitas pessoas sentem pena dos c√£es cegos e outras até sentenciam à morte c√£es com dificuldades visuais. Porém, esquecem de uma observa√ß√£o fundamental: o principal sentido dos cachorros é o olfato. É o primeiro sentido que se desenvolve no cachorro e último que "morre" no animal. Os cheiros s√£o muito mais agu√ßados para os c√£es, tanto que algumas ra√ßas s√£o especializadas e se tornam farejadores profissionais, ajudando a salvar vidas. Desta forma, é possível concluir que a vis√£o n√£o é o sentido que ir√° condenar o c√£o a uma vida miser√°vel e triste. Ele pode ter uma vida saud√°vel e alegre, independente de enxergar ou n√£o. Por isso, vamos dar algumas dicas para facilitar o dia a dia de quem convive - ou pode estar pensando em conviver - com um c√£ozinho cego. Vamos a elas:

DEIXE TUDO COMO EST√Ā!

Descobriu que seu c√£o est√° ficando cego recentemente ou j√° convive com um? N√£o mude as coisas de lugar! Mudar a posi√ß√£o de móveis e caminhos pode deix√°-lo confuso. O ideal é que ele "decore" os trajetos e caminhe tranquilamente e com seguran√ßa pelo ambiente. Ali√°s, principalmente: n√£o mude de posi√ß√£o da sua caminha e dos potes de √°gua e de comida! Mesmo sendo guiado pelo cheiro, geraria uma confus√£o imensa para um c√£o que j√° est√° acostumado com o local de comer e beber no mesmo lugar.


AVISE A PESSOAS QUE VOCÊ TEM UM CÃO CEGO

Um c√£o cego pode - e com raz√£o - se tornar um pouco mais desconfiado com as coisas ao seu redor. Portanto, aproximar-se dele sem cautela e abord√°-lo de qualquer maneira, pode causar um susto ou situa√ß√Ķes desagrad√°veis para o c√£ozinho. Quando for passear, se possível, coloque um colete ou coleira de aviso "Sou um c√£ozinho cego" ou algo similar. É um recadinho que adverte, sem ser rude. (O aviso também vale para visitas em sua casa).

ENCORAJE-O, PORÉM, N√ÉO SINTA PENA

É importante encorajar o c√£o nos momentos em que ele estiver no caminho certo ou quando ele estiver se sentindo seguro para brincar e se divertir. Porém, encorajar é diferente de mimar ou ter pena. Um c√£o com dificuldades físicas que seja muito paparicado pode se tornar inseguro em demasia e n√£o conseguir se desenvolver apropriadamente. Imagine a seguinte situa√ß√£o: voc√™ tem pena do seu c√£o que recentemente ficou cego. Por isso, d√° comida na boca dele todos os dias. Porém, um dia voc√™ tem uma emerg√™ncia no trabalho que n√£o pode faltar de jeito nenhum e ninguém pode dar a comida para o seu pet. Voc√™ deixa o pote de comida no lugar certo, porém, o cachorro n√£o sabe onde ele fica e, pior! N√£o quer mais comer sozinho, pois, ele se acostumou a voc√™ dando na boca dele. Acostumar um c√£o por pena é muito ruim. Torn√°-lo independente é o maior gesto de carinho que voc√™ pode fazer por ele.


ADEQUE O AMBIENTE

N√£o mudar as coisas de lugar é importante, porém, adequar os ambientes é fundamental. Se os seus móveis possuem muitas quinas, pontas ou s√£o extremamente fr√°geis e de materiais cortantes, evite deix√°-los a mostra ou cobra suas quinas com materiais de prote√ß√£o (as prote√ß√Ķes utilizadas para beb√™s funcionam bem). Se o ambiente possuir escadas, considere colocar um port√£ozinho de seguran√ßa. Desta forma, voc√™ poder√° supervisionar sempre que o seu pet quiser descer ou subir. Além disso, antiderrapantes também s√£o uma boa pedida para ajudar no deslocamento do c√£o.

CURTA SEU CÃOZINHO!

Divirta-se com ele! Compre brinquedos que fa√ßam barulhos e incentive o olfato e audi√ß√£o. Petiscos e sininhos podem ser auxílios nestes momentos e te ajudam a treinar ainda mais seu pet. Desta forma, ele se sente mais um na matilha de forma natural e se adequa tranquilamente à rotina.