Uma história de resiliência artística na cidade

O genial Arilton Assunção adapta para a dança, o enredo que levou Anselmo Duarte à Palma de Ouro em Cannes

Uma história de resiliência artística na cidade

Arilton Assunção, coreógrafo e diretor da Faces Ocultas Cia. de Dança Saltense foi premiado em primeiro lugar no Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo - PROAC - em sua versão para Lei Aldir Blanc, "Prêmio por Histórico de Realização na Dança". O resultado desta premiação resultou na montagem e apresentação do espetáculo de dança contemporânea "O Pagador de Promessas", que terá sua estréia nos dias 7 e 8 de agosto, na Sala Palma de Ouro.

Este momento simboliza um marco na trajetória artística do coreógrafo pelo reconhecimento que lhe foi dado pelo governo do estado e, assim buscou transmitir tal representatividade em sua obra coreográfica inspirada em um texto que já foi fruto de sua investigação artística anos atrás e que tem uma grande simbologia para sua vida, assim como para a cidade de Salto.

"A peça coreográfica certamente nos levará a uma reflexão sobre o prometer, o comprometer-se e a expectativa criada por algo lhe foi prometido. Prometer: fazer promessa de dar (algo); comprometer-se a dar... Em que momento a promessa transforma-se numa ilusão? Não seria no exato momento em que o ser humano confia na palavra de seu semelhante?" disse Arilton Assunção ao TERRATAVARES.

Com entrada franca, sempre respeitando as medidas sanitárias impostas pelo Plano São Paulo, em razão da pandemia de COVID-19, em ambos os espetáculos será liberada a entrada às 19h30, não sendo permitida a entrada após as 20h. A entrada será organizada por ordem de chegada, em cada uma das apresentações, sempre respeitando o limite da lotação permitida. No dia 7 de agosto, os assentos disponíveis estarão liberados ao público em geral mas no dia 8, apenas 40% dos lugares estarão disponíveis ao público em geral. As poltronas restantes estarão reservadas para os alunos de mecanismos da Secretaria Municipal de Cultura de Salto.