Quem governa por redes sociais acaba sendo governado por ela

Há um perigo eminente e talvez não percebido pelo atual Governo de Salto

Reprodução Facebook

Reprodução Facebook

Laerte e Edemilson foram vencedores de uma eleição onde a polarização que sempre ouvíamos existir a nível nacional bateu em nossas portas. Edemilson veio de um mandato de oito anos como vereador, onde fazia uso como ninguém já havia feito das redes sociais, na cidade. Vídeos, postagens, denúncias eram diárias e corriqueiras e viravam assuntos de suas ações como vereador. Laerte nunca foi assíduo debatedor das redes sociais, porém, sempre acompanhava o movimento nos bastidores. Até este ponto, tudo é aceitável. Como vereador, Edemilson Santos era apenas um em meio a outros 17. Como advogado, Laerte Sonsim Jr. era apenas um em meio a centenas de outros advogados. Como prefeito e vice, elas são apenas um prefeito e um vice para toda uma cidade.

Onde o TERRATAVARES quer chegar com isto? Temos visto recentemente - e esse assunto já foi motivo de crítica por parte deste portal - que algumas decisões importantes e estratégicas do atual governo são repassadas diretamente via suas redes sociais. Isto cria um problema institucional. Sejamos sinceros, os seguidores das páginas do Laerte e Edemilson são em tese, seus eleitores. Porém, há um mar muito mais abrangente de que como a população precisa ter acesso às informações de serviços públicos, e estas precisam ser acompanhadas não pelo brio político que uma postagem em uma rede social traz, mas sim de uma visão clara e transparente do fato. Isto somente a IMPRENSA, em seus vários segmentos – jornal, blog, portal, revista, rádio e TV - pode fazer. Ela é fundamental neste processo que é chamado DEMOCRACIA, caso contrário, o POPULISMO vence e a CIDADE perde.

Recentemente foi divulgado que o pólo de vacinação em Salto irá ser transferido para o Ginásio de Esportes "João Ferraro". Tal anúncio veio através das redes sociais do novo secretário de Saúde, do Prefeito e do Vice. Nenhum release, nota ou material para a imprensa foi produzido pela Assessoria de Imprensa da Prefeitura. Nada! Esta é uma informação que interessa a quem? A toda a população, pois é ela quem precisa acatar e entender esse processo de mudança. E para isto existe a IMPRENSA que informa, dá a PUBLICIDADe que uma notícia como essa merece. Nos bastidores, todos os jornalistas - dos vários veículos de imprensa da cidade - concordam que assuntos importantes não são trazidos à imprensa - com exceção quando se está em busca de informações ou "levanta a bola". Nos governos anteriores - Geraldo Garcia e Juvenil Cirelli -, toda semana havia uma coletiva de imprensa para abordagem dos fatos semanais mais importantes. E eles, nunca se refutaram a responder nenhuma pergunta. E olhe que já existia redes sociais. Uma boa imprensa, sempre bem informada e atualizada, é sinônimo de uma sociedade dialogando consigo própria.

A realização das LIVES semanais é uma boa ferramenta de aproximação com a população, mas isso não substitui as outras. Se observarem com mais cautela, verão que a audiência já caiu pela metade, hoje não mais do que 100 pessoas acompanham e se levarmos em conta que parte dos que assistem são funcionários públicos ou apoiadores, esse número piora ainda mais. Em 5 meses de governo houve uma única coletiva de imprensa, que foi realizada na troca de secretários. Uma única!

Atualmente a Assessoria de Imprensa d Prefeitura é feita pela brilhante jornalista Karina Camargo, porém, sozinha em função pela não existência dos cargos comissionados, ela se desdobra como pode. Mas não é suficiente. Só para uma pequena comparação, Indaituba tem uma Assessoria de Imprensa com 60 profissionais. Se há está falta, por qual razão então o prefeito não envolve a imprensa em suas ações para que o governo - já mal avaliado pela população - coloque sua caravana na rua. Exatamente neste ponto, bem aqui, entra o perigo das redes sociais próprias serem utilizadas como meio oficial de divulgação e avaliação de um governo, pois os comentários tendem a ser sempre positivos. Tanto que ao final dos 100 dias de mandato o próprio prefeito Laerte Sonsim Jr. deu ao seu governo uma nota 9,0. Seja sincero prefeito, 9,0?

Outro fato ocorrido, foi o caso do Sistema SESI de Educação a ser implantado nas escolas municipais. A notícia veio através de um vídeo nas redes sociais do então vereador Márcio Conrado. Nada para a imprensa, que só após a repercussão do fato, teve as informações divulgadas e muito dessas informações divulgadas numa reunião com os vereadores para esclarecer os fatos.

Governar pelas redes sociais é o que há de pior para a população. É o NÃO de um governo à transparência de suas ações e atitudes.