Salto é a 61ª cidade do estado de São Paulo em potencial de consumo

O IPC Maps mostra o potencial de compras por categorias de produtos nas 5.570 cidades do país e é um dos índices no qual investidores consultam para escolher os locais para seus negócios e investimentos.

Salto é a 61ª cidade do estado de São Paulo em potencial de consumo

Após um ano marcado por prejuízos irreparáveis na maior parte dos setores econômicos do Brasil, mesmo que ainda vivenciando a pandemia, o consumo das famílias deve recuperar parte do seu fôlego e movimentar cerca de R$ 5,1 trilhões ao longo deste ano, o que representa um aumento de 3,7% em relação a 2020, a uma taxa também positiva de 3,17% do PIB. A estimativa é do estudo IPC Maps 2021, especializado há quase 30 anos no cálculo de índices de potencial de consumo nacional, com base em dados oficiais. Esse é um dos índices no qual investidores escolhem os locais para inserção de seus negócios e investimentos.

Com periodicidade anual e abrangência nacional, a pesquisa IPC Maps 2021, realizada pelo IPC Marketing Editora, de São Paulo, publicou nesta semana um estudo que coloca a Estância Turística de Salto como a 61ª melhor cidade em potencial de consumo entre as 645 cidades do estado de São Paulo e 197ª colocada entre os 5.570 municípios do Brasil. Seu índice no estudo atingiu 0,76206, em uma cidade com 40 mil domicílios e uma população de 120 mil habitantes com uma renda per capita em torno de R$ 32 mil reais por ano.

Ainda temos 13 mil analfabetos na cidade (11% dos habitantes), o que preocupa e esse razoável desempenho tem a ver com a predominância da classe "C" no consumo, com 54,4% do total. Aliada à classe "A", com 2,7%; a classe "B" responde por 27,4% e as "D" e "E" por 15,6%. Um pouco mais da metade dos 40 mil domicílios de Salto tem um rendimento familiar entre quatro e dez salários mínimos.


O orçamento da prefeitura para 2021 é de R$ 450 milhões de reais e o consumo na cidade gira em torno de R$ 3,87 bilhões de reais.