1º edição do Festival de Cinema Anselmo Duarte (releitura em 90 segundos) pode acontecer em Salto

Os cinco melhores filmes, selecionados através de uma análise por um corpo de jurados, terão prêmIos no valor total de R$ 22,5 mil reais, além de troféus especialmente criados para o evento.

1º edição do Festival de Cinema Anselmo Duarte (releitura em 90 segundos) pode acontecer em Salto

O Programa Nacional de Apoio à Cultura - PRONAC, da Secretaria Especial da Cultura publicou no último dia 18, no Diário Oficinal da União , a aprovação do Projeto "Festival de Cinema Anselmo Duarte: releitura em 90 segundos". A proposta é realizar a primeira edição de um festival de filmes, com a duração de 90 segundos, que façam a releitura da filmografia de Anselmo Duarte e como isso, valorizar, difundir e motivar o debate público em torno da obra do cineasta, entremeando os diferentes momentos do cinema brasileiro.

Faz parte da programação, a criação de plataforma visual, para viabilizar informações sobre o festival, cadastramento, votação popular e exibição dos 50 filmes selecionados. As exibições serão sempre seguidas de debate público, facilitando o intercâmbio entre produtores e o público interessado. Um júri técnico de reconhecimento nacional, fará a seleção dos melhores trabalhos que concorrerão à prêmios em dinheiro no valor total de R$ 22,5 mil reais, além de troféus especialmente criados para o evento. Para motivar a intereção do público, está prevista votação popular e o trabalho escolhido receberá R$.1.500,00.

Paralelo às exibições, o projeto prevê oficinas de audiovisual gratuitas e abertas à professores, estudantes e interessados na sétima arte, além de palestras sobre a vida e obra de Anselmo Duarte. Para o encerramento do Festival, está prevista noite especial de festa e premiação, na Sala Palma de Ouro, com a presença de todos os premiados. O projeto prevê ainda, acessibilidade física, visual e auditiva, com legenda e audiodescrição de todos os trabalhos.


LEI DE INCENTIVO À CULTURA

Para que esse projeto se efetive, será necessário captação de recursos. Qualquer pessoa física que tenha imposto de renda a declarar ou empresa tributada pelo lucro real pode financiar projetos culturais, utilizando-se do mecanismo da Lei de Incentivo à Cultura. As pessoas físicas podem direcionar 6% do imposto devido e as empresas, 4%. E por que patrocinar eventos culturais? Certamente, essa atitude melhora a imagem da empresa que se verá envolvida em ações culturais geradores de bons impactos na vida do público. Patrocinar poderá atrair novos clientes e fidelizá-los, considerando que os consumidores não compram apenas pelo preço, mas por tudo que envolve à produção e distribuição do produto adquirido. Em um cenário competitivo e o consumidor mais exigente, é preciso destacar a marca e chamar atenção. As empresas que se interessadas em destinar seus impostos, poderão optar pelo patrocínio total do evento que é de R$ 180 mil reais, ou optar por co-patrocinios nos valores de: R$ 80 mil reais, R$ 50 mil, R$ 30 mil ou R$ 20 mil reais. o projeto foi desenvolvido em consonância com o calendário cultural da Secretaria da Cultura

POR QUE HOMENAGEAR ANSELMO DUARTE?

O saltense Anselmo Duarte é o cineasta mais premiado da história do cinema brasileiro. Entre dezenas de produções dirigiu "O Pagador de Promessas", filme mais premiado do mundo em 1962, recebendo cinco grandes prêmios internacionais, inclusive a cobiçada "Palma de Ouro", em Cannes. Essa carreira vitoriosa seria suficiente para torná-lo uma das personalidades mais conhecidas da história nacional, não fosse a longa crise da memória cultural pela qual nosso país atravessa. O ano de 2020 marcou o centenário de nascimento de Anselmo Duarte. O que deveria ter sido um marco festivo para a cultura brasileira, foi apenas páginas de lamentações em alguns grandes jornais pelo esquecimento na efeméride. Agravando ainda mais essa situação, no dia 21 de abril de 2020, data do centenário, a pandemia da Covid-19 ganhou impulso e anuviou qualquer possibilidade de retomada historiográfica. A realização do Festival contribuirá para sanarmos essa dívida com o único cineasta brasileiro a receber a Palma de Ouro, com o grande ator do cinema nacional e com o filho de nossa terra.