Chefe do PCC preso em Salto

"Dino" foi preso por policiais civis da Delegacia de Combate às A√ß√Ķes Criminosas Organizadas (Draco), que estiveram na cidade para realizar a pris√£o.

A coletiva sobre a prisão de Dino aconteceu na manhã desta segunda-feira, 10

A coletiva sobre a prisão de Dino aconteceu na manhã desta segunda-feira, 10

Paulo Diego da Silva Ara√ļjo, o "Dino" ou "Universit√°rio", de 38 anos, um dos homens mais procurados do Cear√°, foi preso no √ļltimo domingo, 9, aqui em Salto, numa opera√ß√£o da Pol√≠cia Civil cearense. Ele foi respons√°vel, além de outros crimes, por colocar um carro-bomba ao lado da Assembleia Legislativa de Fortaleza em 2016 como retalia√ß√£o ao plano de instalar bloqueadores de sinais de celular em volta dos pres√≠dios. Além desta acusa√ß√£o, que foi comprovada segundo Sandro Caron, secret√°rio da Seguran√ßa P√ļblica do Cear√°, Dino j√° responde a nove procedimentos policiais pelos crimes de roubo, roubo de carga, crime contra a fé p√ļblica, dire√ß√£o criminosa, furto qualificado e estelionato. O suspeito j√° responde a nove procedimentos policiais pelos crimes de roubo, roubo de carga, crime contra a fé p√ļblica, dire√ß√£o criminosa, furto qualificado, estelionato, além de integrar organiza√ß√£o criminosa. Ele foi inclu√≠do na Lista de Recompensas da SSPDS em mar√ßo de 2021. Segundo a Pol√≠cia, é considerado chefe de uma organiza√ß√£o criminosa com atua√ß√£o em Fortaleza e aA recompensa por informa√ß√Ķes que levassem a localiza√ß√£o do suspeito era de R$ 7 mil reais.

"Ele estava morando em um condom√≠nio de luxo, tomando todas as precau√ß√Ķes que um criminoso da experi√™ncia dele costuma tomar. Mas um trabalho muito intenso de investiga√ß√£o e Intelig√™ncia da Pol√≠cia Civil permitiu que ele fosse localizado", afirmou Caron. "Ele tinha uma atua√ß√£o de muitos anos no tr√°fico internacional de drogas, integrava uma fac√ß√£o paulista que se instalou no estado e era a grande lideran√ßa dessa fac√ß√£o aqui no Cear√°. Tinha antecedentes também por roubo", complementou. Paulo Diego da Silva Ara√ļjo foi preso em Salto, onde morava desde 2019, por policiais civis da Delegacia de Combate às A√ß√Ķes Criminosas Organizadas (Draco) da Pol√≠cia Civil do Cear√°. Na abordagem, ele tentou fugir, mas foi contido pelos policiais.

HISTÓRICO DE CRIMES


Paulo Diego da Silva Ara√ļjo, o "Dino" ou "Universit√°rio", de 38 anos, um dos homens mais procurados do Cear√°

Além do envolvimento com narcotr√°fico, o homem teria participado de ataques contra o patrimônio p√ļblico e privado, incluindo a onda de ataques que deixou um carro bomba em frente à Assembleia Legislativa, em 2016. Na época, n√£o só Fortaleza, como outras regi√Ķes do Cear√°, registraram duas semanas, entre 5 e 17 de abril, de terror com ataques constantes. Tr√™s ônibus, tr√™s antenas de telefonia, a C√Ęmara Municipal e o Quartel da PM de Sobral, uma viatura da PM e a base do programa Crack, é Poss√≠vel Vencer, no bairro Geniba√ļ, também foram alvos. Durante ataque a ônibus, em Pacatuba, um motorista teve 70% do corpo queimado. Cinco motocicletas na Delegacia de Itapajé e a cabine da PM, no Centro de Fortaleza, foram incendiadas. Houve ainda duas amea√ßas, com informa√ß√Ķes falsas de bomba no Fórum Clóvis Bevil√°qua e na empresa de teleatendimento Contax. O governador Camilo Santana (PT) revelou que foi amea√ßado de morte, anonimamente, por fac√ß√Ķes.

Na época, estava em pauta a instala√ß√£o de bloqueadores de sinais de telefonia móvel em volta dos pres√≠dios. A participa√ß√£o de Dino nos ataques foi confirmada pelo atual titular da SSPDS, Sandro Caron. "Antes mesmo da vota√ß√£o, eles praticaram isso com a estratégia para intimidar o Estado", pontuou. O suspeito também aparece em outras investiga√ß√Ķes, também no √Ęmbito judicial. Uma das investiga√ß√Ķes do Conselho Nacional de Justi√ßa (CNJ) no Cear√°, que apurava a suposta venda de liminares por parte de alguns magistrados da Justi√ßa cearense, levou ao processo de Paulo Diego. Ele havia sido preso em flagrante em 13 de junho de 2013, tentando lavar R$ 300 mil, de acordo com investiga√ß√Ķes da Pol√≠cia Federal e Ministério P√ļblico. O criminoso foi solto em menos de um m√™s por for√ßa de um habeas corpus concedido em um plant√£o da Justi√ßa pelo desembargador Carlos Feitosa.

Paulo Diego, no momento da abordagem, se identificou com o nome falso de "Pedro". Disse ainda que era vendedor autônomo de seguros e que estava ali, no banco, por acaso quando encontrou Francisco Eudes Martins da Costa, preso também na ocasi√£o. Paulo Diego j√° era considerado pela Pol√≠cia Federal um grande traficante no mercado de drogas em Fortaleza, j√° respondia por crime de estelionato (2004), roubo a banco (2010) e tr√°fico de entorpecentes (2012). Assim que ficou livre, Paulo Diego fugiu. O oficial de Justi√ßa constatou que ele n√£o morava mais em uma resid√™ncia na rua Viriato Ribeiro, no bairro Bela Vista, em Fortaleza.