Equipe do TERRATAVARES sofre tentativa de intimidação

O secretario afirmou que a imprensa não tem relatado o quão tem sido difícil o dia a dia do atual governo e só querem saber de picuinhas. Dar publicidade a essas dificuldades, é um papel do próprio governo não da imprensa..

Equipe do TERRATAVARES sofre tentativa de intimidação

No próximo 3 de maio, comemora-se o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Um dia em que organiza√ß√Ķes n√£o governamentais aproveitam para chamar a aten√ß√£o para as amea√ßas sobre o direito a uma informa√ß√£o independente, plural e transparente. Vale a pena ressaltar que governos devem ser afeitos à transpar√™ncia no trato com as informa√ß√Ķes.

Nesta segunda-feira, 19, estivemos no Pa√ßo Municipal da Abadia de S√£o Norberto, para uma entrevista, anteriormente agendada. Muito bem recebidos pela assessora de Imprensa, Karina Camargo nos dirigimos ao gabinete do prefeito Laerte Sonsin Jr., que elegantemente e solicito nos respondeu a todos os questionamentos feitos. Sem nenhum stress ou atrito, o bate papo ocorreu dentro de um clima amistoso e de respeito m√ļtuo.

Ao terminarmos, descendo as escadas do anexo ao gabinete, fomos abordados pelo secret√°rio municipal de Governo, que em tom assertivo e grosseiro, nos inquiriu sobre o teor de um questionamento feito pelo TERRA TAVARES sobre um servidor, agora lotado em sua secretaria.

Primeiramente sobre o porqu√™ do questionamento? Vale a pena aqui falar que um questionamento n√£o é p√ļblico e sim um simples documento solicitando informa√ß√Ķes que podem ser ou n√£o fornecidas pelo questionado. Dependendo dos argumentos apresentados simplesmente arquivaremos a resposta. Isso foi solicitado dias antes - por e-mail - via Assessoria de Imprensa, conforme sempre o fazemos com todas as secretarias e autarquias do governo.

Visivelmente irritado, o secret√°rio também queria depois saber quem era o informante que nos repassou tais informa√ß√Ķes? Queria a puni√ß√£o da fonte que nos repassou a informa√ß√£o. Nesse ponto ficou n√≠tida a impress√£o - para nós da imprensa - que o sintoma é pand√™mico. Vai e volta ao sabor de tempos e lugares, principalmente quando os tempos se tornam sombrios.

Os dois editores do TERRATAVARES relembraram ao Secret√°rio que a fonte nunca seria revelada, até por ser funcion√°rio p√ļblico e este n√£o sofrer retalia√ß√Ķes. Ainda em tom afirmativo, questionou que a imprensa n√£o tem relatado o qu√£o tem sido dif√≠cil o dia a dia do atual governo e só querem saber de picuinhas. Neste ponto destacamos que para uma imprensa, a dificuldade que se diz ter ao assumir uma prefeitura n√£o é de nossa compet√™ncia. Dar publicidade a esta dificuldade, é um papel do próprio governo. A imprensa relatando se as a√ß√Ķes chegam do executivo s√£o assertivas junto a sociedade, ela n√£o faz e n√£o deve fazer publicidade institucional de governo, seja de direita ou esquerda.

Um gestor que chefia a secretaria de Governo e faz a interlocu√ß√£o pol√≠tica do governo deveria saber, ao menos, que o sigilo da fonte jornal√≠stica é uma garantia prevista constitucionalmente no art. 5¬ļ, inciso XIV, in fine, da Constitui√ß√£o Federal.

Também sabemos que a culpa pelos desmandos e mazelas que ocorreram no passado e ainda poder√£o ocorrer no futuro, quase sempre recai sobre a imprensa. É como se um v√≠rus sobrevivesse latente no senso comum e se manifestasse vez ou outra, sempre através dos ve√≠culos jornal√≠sticos. N√£o foi preciso ir t√£o longe para notar isso.

Sabemos ainda que é da √≠ndole do ser humano sempre atribuir a outrem a culpa por suas desventuras e seus infort√ļnios. Porém, a miss√£o de um jornalista - aqui se posiciona o TERRATAVARES como ve√≠culo de informa√ß√£o - é e sempre ser√° vigiar quem ocupa o poder. Afinal, como dizia Albert Camus, "uma imprensa livre pode ser boa ou ruim, mas certamente sem a simples liberdade de questionar ou de divulgar, a IMPRENSA SERÁ SEMPRE RUIM".

N√£o é dif√≠cil ent√£o concluir, em regra, que governantes e pol√≠ticos n√£o toleram o princ√≠pio constitucional da transpar√™ncia e, por óbvio, a imprensa sempre ir√° e vai incomodar, porque sua atua√ß√£o implica em dar luz a fatos e circunst√Ęncias muitas vezes obscuros aos olhos da popula√ß√£o.