Denúncias do TERRATAVARES repercutem! Veja com exclusividade toda a trama por trás das notícias, e-mails, áudios e mensagens.

Secretária desmente fala, empresa notifica portal extrajudicialmente e Prefeitura fala em notícia falsa do portal

Denúncias do TERRATAVARES repercutem! Veja com exclusividade toda a trama por trás das notícias, e-mails, áudios e mensagens.

Fazer imprensa não é uma das tarefas mais fáceis na cidade de Salto, e isto, não é de agora. Esta semana o TERRATAVARES fez duas denúncias no portal. Uma a respeito da secretaria de Ação Social e outra envolvendo a vacinação de alguns GCM"s na cidade.

Com exclusividade e de forma inédita, vamos revelar os bastidores destes dois episódios, não como defesa, mas sim como funciona o método de trabalho investigativo que o TERRATAVARES se pauta.

MATERIAL ESCOLAR SESI EM SALTO

A reportagem do TERRATAVARES esteve junto a Secretária da Educação de Salto, Anna Noronha na última sexta-feira, 26, na parte da manhã, na sede da prefeitura. O encontro foi na sala de reuniões, e como toda entrevista que realizamos, ela seguiu o caminho de um descontraído bate papo.

O tema inicial era falar da implantação da Educação Integral em Salto. Qual seria o planejamento, próximos passos, etc., porém, uma das questões tratadas - visto que o assunto principal se esgotou rapidamente - abordamos outros temas com a permissão da secretária. Quando abordada a respeito da adoção do material didático do Sistema SESI em Salto, fomos surpreendidos com a notícia de que tal questão estava sendo revista pela equipe pedagógica da secretaria da Educação e talvez não houvesse a compra neste momento.

Ao saímos da entrevista, Anna ainda brincou que teríamos duas notícias em primeira mão: que o retorno as aulas seriam apenas no segundo semestre e que o material poderia não ser adotado neste ano. Ao chegar à redação, a notícia foi imediatamente ao ar com a seguinte manchete: Aulas na rede municipal de Salto retornarão somente no 2º semestre e material didático do SESI pode não ser adotado na cidade.

OUÇA AQUI O ÁUDIO QUE ORIGINOU A ESCOLHA DA MANCHETE.

Como o leitor ouviu acima, o TERRATAVARES não mentiu. Uma ligação da secretaria Anna Noronha solicitando alteração da manchete e correção da matéria aconteceu naquele mesmo dia, como a entrevista completa a respeito de diversos temas não tinha sido ainda transcrita, a editoria resolveu retirar o trecho do SESI da manchete, mantendo apenas na redação do texto, porém, até o momento, principalmente após a entrevista, este assunto ficou confuso. Seria inviável como veículo de imprensa reproduzir a íntegra da entrevista, sem focar neste tema do SESI, pois a fala da secretaria é contundente, visto a repercussão que a notícia teve na cidade nas últimas semanas, por esta razão, optamos por não o fazer.

SECRETARIA DA AÇÃO SOCIAL E CURSOS PAGOS PARA EMPRESA DE SOROCABA

Ao receber qualquer tipo de informação ou denúncia, o TERRATAVARES primeiro vê a credibilidade da fonte. No caso da denuncia sobre as oficinas da Secretaria da Ação Social, ela nos chegou através de um release de divulgação por uma terceira pessoa que nada tinha a ver com a Assessoria de Imprensa da prefeitura. Imediatamente, consultamos a assessora de Imprensa para perguntar sobre os detalhes dessas oficinas. Ela desconhecia totalmente o fato. Imaginamos que por ela estar sozinha, exercendo tão trabalhosa função, alguém resolveu ajudá-la. Mesmo assim fizemos os questionamentos abaixo:

Em paralelo, começamos a pesquisar o Diário Oficial do Município e o Portal da Transparência do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. Pesquisamos diretamente no TCE pelo fato do Portal de Transparência da prefeitura não ser nada transparente. Assim, obtivemos no nome da empresa, seu CNPJ, o contrato 78/2018 bem como os aditamentos e o total pago desde a assinatura do termo. Nesse meio tempo, recebemos um áudio da secretária que tentava explicar o porquê da não contratação de profissionais da cidade para ministrar os cursos. Alegou que pela proximidade do início das aulas isso não daria tempo. Outro áudio, desta vez de um representante da empresa, chegou às nossas mãos onde o interlocutor alegava que ficaria mais fácil para a empresa que professores fossem de Sorocaba e Salto de Pirapora nesta fase online e que na fase presencial esses seriam substituídos posteriormente.

OUÇA AQUI O ÁUDIO DO REPRESENTANTE DA EMPRESA

Após muita cobrança - aqui vale uma ressalva que a construção de uma notícia em um portal não pode esperar a boa vontade que quem está sendo questionado - após quatro dias chega a explicação, também através de um terceiro que não a Assessoria de Imprensa. Na mesma hora, questionamos novamente sobre o número de alunos atendidos e os nomes do professores e/ou instrutores de Salto. Até o momento nada nos foi respondido. Após a publicação feita, a velocidade de informação da secretaria mudou, pois, a empresa foi avisada rapidamente sobre o portal e em tempo recorde recebemos uma intimação extrajudicial para retirar a matéria do portal, sob a alegação de estamos mentindo.

Ainda neste assunto, a empresa recebeu mais de R$ 38 mil reais, por aulas de ginástica online, que como ela mesmo cita na intimação, o público era de 4/5 pessoas nas aulas que eles chamam de FORMATO ANTIGO. Isto não poderia ser revisto? As aulas não poderiam ter sido suspensas para revisão do contrato, que inclusive foi feito... Agora, pagar R$ 38 mil reais por aulas de ginástica online, está certo?


VACINAÇÃO DOS GMC EM SALTO

Há pelo menos duas semanas a notícia de que haveria pessoas fora do cronograma de prioridades de vacinação recebendo o imunizante em Salto era ventilado nos bastidores da Câmara Municipal. O TERRATAVARES começou então a levantar com suas fontes informações deste tema. Na sexta-feira, dia 26, no início da noite, uma ligação anônima nos apontou o caminho: 11 guardas municipais foram vacinados.

Neste ponto vale destacar que o TERRATAVARES não é contrário a vacinação dos guardas, mas sim que seja feita de forma clara, justa e com o sistema escolhido para escolha claro de quem está recebendo a vacina. Questionamos o Prefeito Laerte que afirmou desconhecer esta informação, mas que iria averiguar. No final de semana buscamos informações com GCM"s que manifestaram sua insatisfação com o ocorrido. Inclusive, em primeira mão para você leitor do TERRATAVARES, alguns guardas estão articulando para levar a denuncia ao Ministério público.


Na segunda feira, as 09h28, enviamos o seguinte e-mail para assessoria de imprensa:



A prefeitura então, 24 horas após a notícia publicou uma nota chamando a notícia de falsa, porém, assumindo que os guardas foram vacinados. O TERRATAVARES não trabalha com notícia falsa, mas uma atitude desta enfraquece a imprensa que busca fazer um trabalho de levar a informação para que o cidadão tenha amplo conhecimento dos fatos. Enfraquece, não se sabe com qual interesse, pois quando questionamos o executivo, se a resposta nos fosse dada, a matéria teria outro teor, não de denúncia, mas sim de informação de como estava sendo o cuidado com as doses de vacina da cidade.

Somente após nossa denúncia, uma ordem de serviço foi emitida pela direção da guarda, informando que todos os que tiverem interesse tomarão o imunizante no dia 07 de abril (dentro do período que o Governo do Estado colocou a categoria).


Faltou ainda responder alguns questionamentos – que não faremos diretamente a prefeitura neste momento, pois quando fizemos, não tivemos retorno e ainda fomos chamados de mentirosos:

1. Se as sobras das vacinas estão sendo utilizadas, e deve ser, das 13.416 doses aplicadas, apenas 11 pessoas foram vacinadas? Ou teve também outras mais vacinadas?

2. No vacinômetro, os GCM"s entram em qual categoria: Idosos ou profissionais da saúde?

3. Este procedimento era feito sem que ninguém soubesse? Pois o prefeito Laerte Sonsin Jr. foi informado de uma denúncia na sexta feira, e a resposta chega apenas 4 dias depois, em forma de nota? O secretário da Saúde não poderia ter explicado isto e esta informação ser repassada diretamente ao TERRATAVARES?