Anvisa autoriza realização de exame de análise clínica em farmácias

Mas ainda cabe aos m√©dicos a decisão do melhor local para coleta dos exames

Anvisa autoriza realização de exame de análise clínica em farmácias

A Ag√™ncia Nacional de Vigil√Ęncia Sanit√°ria (Anvisa) aprovou norma que permite a realização de Exames de An√°lise Clínica em farm√°cias e consultórios. Os exames devem ser realizados nesses espaços somente em car√°ter de triagem e não substituem o diagnóstico laboratorial convencional. A resolução, que entra em vigor a partir de 1¬ļ de agosto, define uma nova categorização de serviços de Saúde na cidade, que realizam atividades de farm√°cias e consultórios, postos de coleta e laboratórios clínicos, laboratórios de apoio e laboratórios de anatomia patológica.

De acordo com o biomédico e farmac√™utico Fernando Jaguaribe, dono do Laboratório Edna Jaguaribe, alguns exames de baixa complexidade podem serem feitos diretamente em farm√°cias, tais como glicemia e colesterol. "Exames mais simples tudo bem, porém exames mais complexos ainda necessitam de uma an√°lise laboratorial", explica Fernando.

O biomédico pondera ainda, que a correta coleta de exames deve ser feita sempre após a consulta médica, que ser√° direcionar√° para laboratórios ou farm√°cias. "Quem sabe e deve interpretar melhor os exames e sugerir os locais mais adequados para as coletas serão sempre os médicos", reforça.

"Assim, a norma aprovada possibilita a realização de testes de triagem nos serviços tipo I?e tipo II, os quais não ultrapassam o diagnóstico laboratorial convencional e nem o substituem, pois a sua atuação é complementar, com finalidades distintas no atendimento à população", destacou em nota oficial a Anvisa.

"Os resultados dos testes executados nos serviços tipo I não devem ser usados de forma isolada para a tomada de decisões clínicas. Esses testes devem ser usados como triagem, com vistas a oferecer um ponto de partida objetivo, em conjunto com a rotina de avaliação dos profissionais de saúde, para oferecer o suporte adequado aos pacientes. Portanto, o resultado de um teste r√°pido necessita da interpretação de profissionais de saúde, que devem associ√°-lo aos dados clínicos do indivíduo e à realização de outros exames laboratoriais confirmatórios", reforça a Anvisa.

A ag√™ncia também avalia que a nova norma representa um avanço importante em relação à ampliação da lista de serviços executados em farm√°cias e consultórios, a fim de permitir o melhor acesso da população para assist√™ncia à Saúde, bem como garantir a qualidade dos exames de an√°lises clínicas nas cidade.