Prefeitura não sofreu golpe, mas um sinal amarelo de que muita coisa precisa mudar, foi ligado

TERRATAVARES teve acesso ao processo na íntegra que detalha toda a operação fraudulenta envolvendo a empresa Soluções

Prefeitura não sofreu golpe, mas um sinal amarelo de que muita coisa precisa mudar, foi ligado

O assunto é sério e chato. O prefeito Laerte Sonsin Jr. está visivelmente irritado com os termos utilizados pela imprensa, ao chamar de golpe ou fraude o ocorrido envolvendo o depósito de R$ 875 mil reais, pela Prefeitura da Estância Turística de Salto, para uma conta FALSA, criada por golpistas em nome da empresa Soluções Serviços Terceirizados, que cuida da merenda escolar na cidade.

Os vereadores se reuniram nesta quinta-feira, 5, para aprovar um requerimento convocando as secretárias municipais de Finanças, Educação e um representante da empresa Soluções. Aprovado por unanimidade, o prazo legal é de 30 dias para que essa reunião ocorra, mas numa estratégia para acalmar os ânimos de alguns vereadores, a secretária de Finanças, Adriana Senhora Lourenço, ao ver seu nome envolvido num escândalo financeiro, se ofereceu para falar com os vereadores naquele mesmo dia.

A liminar já tinha saído enquanto Adriana Lourenço falava com os vereadores, mas ela desprovida desta informação, por falta de um acompanhamento jurídico, não informou a eles. A conta foi bloqueada e nela consta um saldo de R$ 287 mil reais que será devolvido na próxima semana aos cofres municipais e, conforme fontes nos informaram, nesta sexta-feira, 6, o prefeito Laerte Sonsin Jr. teve a confirmação do Banco BMP que todo o valor será ressarcido e que reconhece sua culpabilidade no caso.

Os golpistas atuam na cidade de São Miguel do Iguaçu, uma simpática cidade do Paraná, bem na divisa com Argentina. Toda a movimentação financeira ocorreu apenas em três contas jurídicas e três contas físicas, sendo as jurídicas pertencentes a construtoras da região, das famílias dos titulares das contas físicas.



A Prefeitura não sofreu golpe! O Banco BMP sim e a Empresa Soluções? Talvez!

PRIMEIRO ERRO:

Ao receber um e-mail solicitando alteração de conta de pagamento,como não há uma norma vigente que determine o rito correto para esta ação, a secretária Adriana Lourenço - funcionária de carreira - fez como sempre fez, encaminhou o pedido que foi verificado - minimamente pela falta de rito - e a alteração realizada. Mas há meios para se resolver e evitar futuras situações, como permitir que alterações ocorram somente pelo responsável pelo contrato, via papel timbrado, assinatura reconhecida em cartório e somente com o gestor do contrato. A Secretaria de Finanças paga, mas o gestor faz a gestão.

SEGUNDO ERRO:

Ao receber um ofício da empresa Soluções Serviços Terceirizados, em 26 de dezembro, às 13h51, comunicando a fraude, o Jurídico da Prefeitura imediatamente deveria tomar uma medida mais enérgica, porém o Boletim de Ocorrência só foi aberto 24 horas depois de tomarem ciência de que mais de R$ 800 mil reais foram depositados em uma conta fraudulenta. Já o contato com o Banco BMP, onde a conta foi aberta e os valores depositados, foi feito apenas no dia 2 de janeiro (?!). E a liminar, solicitando informações da conta e bloqueio dos valores depositados; somente pedida no dia 3 de janeiro... Esperaram passar as festas!

Na cidade de Socorro, por exemplo, onde o mesmo golpista atuou utilizando-se de outro e-mail também com o provedor gmail - recebeu depósitos daquela prefeitura no valor de R$ 658 mil reais -, o pagamento foi feito dia 20 de dezembro. A Prefeitura daquela cidade ao ser informada do golpe em 23 de dezembro, no mesmo dia, deu entrada com uma liminar pedindo bloqueio e outras informações. Com isso, obteve êxito pois o Banco BMP devolveu aos cofres públicos todo o valor depositado.


E o Banco BMP?

Bancos normalmente são muito criteriosos em aberturas de contas de empresas. Muitos deles exigem visitas, documentos autenticados, etc., porém, com o avanço das tecnologias existe também o avanço dos golpes. No processo, obtido com EXCLUSIVIDADE pelo TERRATAVARES, ficou nítido que o interesse do banco era simplesmente de ter sua meta de conta batida ao fim do mês, ainda mais com uma empresa cujo faturamento era milionário.

A conta foi assinada de modo digital, ou seja, de um computador no conforto do lar. Foi tirada uma foto, segurando um documento - onde não se lê nada no documento, pela qualidade do material entregue e o cidadão que está foto lembra de longe o titular da CNH, que também foi enviada por foto e totalmente rasurada, o que nunca seria aceito por uma instituição financeira convencional. O banco, por negligenciar informações, naturalmente é responsável financeiro, já que a conta existe apenas porque ele - o banco - como instituição financeira autorizada pelo Banco Central a criar as contas-correntes; meio pelo qual entrou e saiu o dinheiro; e isso só ocorreu porque ele - novamente o banco - permitiu a criação da conta.


E a Empresa Soluções Serviços Terceirizados?

Uma fala do Chefe de Gabinete de Finanças, Alexandre Moreno durante reunião com vereadores, deixou-os com a pulga atrás da orelha. Ele afirmou, que como agora corre um processo a Soluções terá de provar que não recebeu o dinheiro. Por mais maluca que pareça a frase, faz todo sentido. Feito o medíocre rito de verificação da conta, a Prefeitura pagou. A discussão de não receber, se ela ocorrer, será um outro capítulo dessa história.

Estranhamente a conta foi aberta no mesmo dia da solicitação junto às prefeituras, 5 de dezembro. Feita para isso, a fraude também ocorreu durante uma SUSPENSÃO sofrida pela empresa Soluções Serviços Terceirizados, onde ela está proibida de participar de qualquer licitação até o fim de março de 2023, já que ela foi condenada por servir comida estragada em presídios do Rio de Janeiro.


A empresa também é envolvida em mistérios, como por exemplo, em todas as cidades que a Nutriplus possuia contratos, após o encerramento destes, novos contratos foram pegos pela Soluções, que dentre seus lobistas está um velho conhecido saltense, que até então era funcionário do alto escalão da Nutriplus. Inclusive foi objeto de questionamento formal por parte de vereadores da cidade de Uberaba, em fevereiro de 2022, de qual seria a relação dele com a empresa Soluções, já que naquela cidade, sua presença pela Nutriplus era constante.

Vamos mais além, pouco se sabe do sócio administrador da empresa Soluções Serviços Terceirizados, nunca foi visto aqui pela Terra de Tavares, já que em todos os contratos e documentos, ele assina apenas pelo modo digital. Porém, no documento falsificado apresentado ao banco, como em outros casos, normalmente os dados aprersentados são os mesmos, alterando-se apenas a foto. Seu pai, Ademir Pereira de Godoy, foi preso em 2020 por participar de uma organização criminosa que atua no fornecimento de alimentação. Gustavo nasceu em 1996, é o único sócio administrador da empresa, com 27 anos de idade.