"Não desistam da ASPAS", diz mãe emocionada para os vereadores durante Sessão na Câmara de Vereadores

Maria Valdira, mãe de uma menina surda, contou aos vereadores a importância da Associação Saltense de Pais e Amigos dos Surdos.

Maria Valdira se emociona ao falar da filha. Foto: Comunicação Câmara Vereadores de Salto

Maria Valdira se emociona ao falar da filha. Foto: Comunicação Câmara Vereadores de Salto

Em 26 de setembro é comemorado, anualmente, o Dia Nacional do Surdo, data que foi oficializada por Lei Federal, em 2008. A ASPAS - Associação Saltense de Pais e Amigos dos Surdos, fundada em 18 de janeiro de 2000, é uma entidade sem fins lucrativos com a finalidade de promover a habilitação e reabilitação das pessoas com deficiências auditivas, surdos e seus familiares. A entidade conta com psicóloga, fonoaudióloga, intérpretes e instrutores de Libras, bem como conta com palestras, atividades pedagógicas e outros projetos.

Em 2005, a ASPAS implementou junto com a Câmara dos Vereadores à Lei da Libras na cidade de Salto. Conforme a lei, as repartições públicas, áreas de educação, saúde e promoção social, devem ter atuação de servidores com conhecimento da Língua Brasileira de Sinais (Libras), para atendimento às pessoas com deficiência auditiva.


Um de seus fundadores e atual coordenador da ASPAS, Rogério Carlos Lamana, que atua há 21 anos na entidade, esteve presente na Câmara de Vereadores durante a 33ª Sessão Ordinária, realizada no dia 13 de setembro. Na sua participação no plenário, Rogério enfatizou a importância das emendas impositivas para a continuidade dessas atividades, agradeceu aos vereadores pelos valores recebidos anteriormente e solicitou novamente a destinação dessas verbas para a manutenção da instituição no próximo ano.

Maria Valdira, cuja filha Maria Eduarda é surda, também se pronunciou e abordou a importância do trabalho realizado pela ASPAS em prol do desenvolvimento de sua filha e dos outros deficientes auditivos atendidos. Emocionada e aos prantos ao contar o caso de sua filha, Maria deixou um recado direto aos vereadores: "Não desistam da ASPAS".

Hoje a ASPAS tem um cadastro de 372 famílias de surdos ou deficientes auditivos. Além de adultos e jovens, a entidade em 2022 atende 26 crianças com pais surdos ou com deficiência, ensinando Libras para o bom convívio familiar. Para o futuro, a ASPAS pretende oferecer aulas de informática voltada para o mercado de trabalho, curso cultural como danças e artes.