Dom Arnaldo Carvalheiro Neto é nomeado bispo da Diocese de Jundiaí

até então Bispo da Diocese de Itapeva (SP) foi nomeado essa manhã pelo Papa Francisco, assumindo a nova missão até então conduzida por Dom Vicente Costa, agora emérito

Dom Arnaldo Carvalheiro Neto é nomeado bispo da Diocese de Jundiaí

Dom Arnaldo Carvalheiro Neto foi nomeado hoje (15) bispo da diocese de Jundiaí (SP), sendo transferido da sede de Itapeva (SP). Ele vai suceder dom Vicente Costa, que teve seu pedido de renúncia por idade aceito pelo papa Francisco.

O novo bispo fará sua primeira visita à diocese de Jundiaí nos dias 27 e 28 de junho. A celebração de início do seu governo episcopal será no dia 13 de agosto, às 9h, no Ginásio de Esportes Dr. Nicolino de Lucca. Enquanto isso, o agora bispo emérito, dom Vicente Costa, segue como administrador diocesano.

Em uma transmissão ao vivo feita na manhã de hoje pelas redes sociais da diocese de Jundiaí, dom Arnaldo Carvalheiro disse que chega "à maneira de Moisés". "Hoje, vou tirando minhas sandálias, porque sei que vou adentrar numa terra sagrada, vou de encontro com um povo santo. Importa que deixemos aquela sarça ardente de onde Deus falou com Moisés, que esse espírito arda nos nossos corações, ilumine nossos caminhos para que possamos continuar levando adiante a caminha da diocese de Jundiaí. Tenho procurado conhecer a história da diocese e me sinto feliz de gora fazer parte dessa história", declarou.

Em outubro de 2021, um vídeo de dom Carvalheiro viralizou nas redes sociais após ele comentar o caso em que o deputado estadual Frederico D"Ávila (PSL-SP) xingou o arcebispo de Aparecida (SP), dom Orlando Brandes, o papa Francisco e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Na ocasião, dom Carvalheiro propôs que quem xinga os bispos e o papa saísse da igreja e disse que se pode discordar do que a CNBB diz, mas não faltar com respeito. "Quero que quem se diz católico de verdade permaneça na igreja e cante junto. Mas se você está falando mal da Igreja, da Campanha da Fraternidade – há quem diga que a Campanha da Fraternidade está a serviço de projetos abortistas, o que é fake news. Não se pode servir a dois senhores. Cuidado com quem você está escutando, cuidado com WhatsApp, cuidado com rede social. Antes de falar da CNBB, visite o site, veja o que está falando, leia os documentos da Igreja. Antes de falar do papa, se digne a ler os documentos , acompanhar o que o papa está falando".

"Agora, atenção, se você está aqui nesse momento, me acompanha nas redes sociais, e está de acordo que o papa é vagabundo, que o papa é safado, que a CNBB é o câncer da igreja e que dom Orlando é um bispo que usa a batina para manipular o povo de Deus e fazer politicagem, levante-se agora e vá embora. Não quero você aqui. Levante-se agora, vá embora e não volte. Sabe por quê? Não sou eu que estou mandando você embora, você já não está em comunhão com a Igreja, você já não pertence mais a esta Igreja. Com Deus não se brinca. Ou acordamos para a vida, ou vamos nós mesmos acabar com nossa Igreja, com a Igreja de Jesus Cristo", disse.

Em mensagem a dom Arnaldo Carvalheiro, a CNBB o saudou por sua nomeação e disse saber "do seu compromisso com as populações mais vulneráveis, da sua comunhão com a Igreja no Brasil e com o magistério do Papa Francisco no esforço de buscar uma Igreja cada vez mais sinodal e em saída, enfrentando os desafios da nova evangelização, com renovado método e ardor, em vista de uma autêntica conversão pastoral do povo a Deus e a seu Reino".

Dom Arnaldo Carvalheiro nasceu em 11 de abril de 1967, em São Paulo (SP). Estudou Filosofia na Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciências e Letras (Unisal), em Lorena (SP), e Teologia no Instituto Teológico Rainha dos Apóstolos, em Marília (SP). Frequentou cursos de especialização em direção espiritual no Institute for Spiritual Leadership, em Chicago, Estados Unidos, e de capelania hospitalar no Hospital Universitário Mater Misericordiae, em Dublin, Irlanda. Possui mestrado em Pastoral Couseling pela Universidade Loyola de Chicago.

Foi ordenado padre em 17 de maio de 1997, incardinado na diocese de Araçatuba (SP). Em seu ministério sacerdotal, atuou como pároco de São Brás, em Birigui (SP), de 1997 a 2000, e de São Pedro Apóstolo, em Gabriel Monteiro (SP), de 2007 a 2016. Foi reitor do seminário propedêutico de Araçatuba e membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores. Durante a estadia em Chicago para os estudos, foi vigário paroquial de Saint Roman, entre 2003 e 2006. Também foi diretor espiritual do Instituto Teológico Rainha dos Apóstolos em Marília, de 2007 a 2014.

Em 4 de maio de 2016, foi nomeado bispo coadjutor de Itapeva (SP). Recebeu a ordenação episcopal em 17 de julho do mesmo ano e escolheu como lema episcopal "Servir ao Senhor com alegria" (Sl 99/100). Tornou-se bispo titular de Itapena em 19 de outubro de 2016. No Regional Sul 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é bispo referencial da Cáritas.