Secretário de Governo Procópio vai a Câmara de Vereadores para dar explicações de denúncia de corrupção e vereadores decepcionam

Apenas três vereadores fizeram questionamentos sobre as denúncias que tumultuam a politica da cidade nas últimas semanas.

Secretário de Governo Procópio vai a Câmara de Vereadores para dar explicações de denúncia de corrupção e vereadores decepcionam

Era bastante alta a expectativa para o encontro desta sexta-feira, 15, entre o secretário de Governo, Francisco Procópio, e os membros do legislativo saltense. Muito se falava nos bastidores politico da cidade. Temas nebulosos não faltavam, mas as garras da política de bastidores falaram mais alto e venceram.

O vereador Daniel Bertani que na sessão desta semana fez duras críticas ao secretário, afirmou que não fez falácia e que vai provar que houve um xingamento aos vereadores, já que o vereador possui um áudio do secretário de Governo, Francisco Procópio, mas não foi autorizado a mostrar na reunião. E ingenuamente, fez um pedido ao secretário para que ele peça para sair evitando dessa forma uma possível briga entre o prefeito Laerte Sonsin Jr. e seu Vice Edemilson Santos. Procópio rebateu questionando que se o motivo desta briga seria a presença dele no governo e Bertani afirmou que sim e que bastava olhar para os vereadores, referindo-se a base governista que o governo Laerte não possui na Casa de Leis. O vereador Fábio Jorge, sempre inteligente e antenad,o buscou fazer perguntas mais técnicas relacionadas aos empreendimentos imobiliários e a tal da Comissão Especial de Avaliação de Ocupação do Solo, que de acordo com o secretário, faz reuniões de trabalho semanalmente mas não há nenhum registro desses encontros, simplesmente por falta de pessoal para escrever a ata.

Dos demais vereadores, onde muitos não pareciam incomodados com a situação, Vinícius Saudino disparou uma sequência inteligente de perguntas a respeito de toda a trama de corrupção descrita na denúncia e teve sucessivos "nãos" como resposta. Porém, em um dos questionamentos mencionou o TERRATAVARES, quando da entrevista que o secretário nos deu e foi perguntado a respeito de ofertas de propina para ele que por sua vez respondeu positivamente. Para que não paire nenhuma dúvida, abaixo vamos transcrever a resposta do secretário no dia de nossa visita.

TERRATAVARES: Já teve dinheiro vivo sendo entregue aqui para você como cita a denúncia?

FRANCISCO PROCÓPIO: Já me foi oferecido um bocado, não por estes caras, mas por outras empresas e outras pessoas. Inclusive empreendedor mesmo, tá? Mas até agora quero que prove que me pagou.

Quando questionado pelo vereador Saudino se ele leu a entrevista, afirmou que sim e que não fez a denúncia da oferta, apenas um quase denunciou por ser coisa rápida e que não há tempo de chamar a polícia ou algo assim e citou também não ter porte físico para segurar a pessoa e que não acredita ter errado ao ter omitido tais ofertas de corrupção.


Este episódio é no mínimo intrigante. Trata-se de um Secretário de Governo que diante de 10 vereadores, confirma sua omissão diante de fatos gravíssimos e é acompanhado de um SILÊNCIO BRUTAL dos nossos representantes. A função do jornalismo não é só noticiar e informar, mas também incomodar e provocar. Não se trata de boato ou "zun zun zun", mas sim de uma fala pessoal e gravada dentro de um dos poderes constitucionais do ocupante da mais importante pasta do executivo Saltense.

O QUE É PREVARICAÇÃO?

Prevaricação é um crime funcional, ou seja, que só pode ser cometido por alguém que tenha um determinado ofício, contra a administração pública. Ela ocorre quando um funcionário público, propositalmente, atrasa, deixa de fazer ou faz algo indevidamente em benefício próprio.

Retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal.

Artigo 319 do Código Penal Brasileiro

A pena prevista é de multa e três meses a um ano de detenção. O episódio do vídeo do secretário, supostamente embriagado em um bar da cidade, falando contra os vereadores e outras coisas foi um dos assuntos que formaram uma névoa dentro do plenário, pois como não estava no requerimento, o mesmo não era obrigado a responder as questões.

É bom ressaltar que tanto a denúncia de corrupção e o vídeo até o momento surge de forma anônima. Existem precedentes do Supremo Tribunal Federal que trata do assunto e diz que "nada impede a deflagração da persecução penal pela chamada 'denúncia anônima', desde que esta seja seguida de diligências realizadas para averiguar os fatos nela noticiados".

Desta forma não questionar o secretário ou ainda amenizar os fatos vai na contramão de algo maior do que a mera politicagem de bastidores. Precisa ir além disto. O acusado, sem nada temer, e por ocupar um cargo público tem sim que dar explicações a uma sociedade cansada de episódios que destroem e desacreditam a política e os políticos. Quem assistiu a reunião desta sexta-feira e pensou que ia ouvir esclarecimentos de assuntos sérios, por pouco não viu o secretário convocado sair ouvacionado do plenário.