'Eu tô muito tranquilo com tudo', afirma Secretário de Governo, Francisco Procópio em entrevista exclusiva

Secretário recebeu equipe do TERRATAVARES em seu gabinete e respondeu as perguntas a respeito da denúncia de corrupção que estaria envolvido

Francisco Procópio (Sec. de Governo) e Dra. Fernanda Batista (advogada)

Francisco Procópio (Sec. de Governo) e Dra. Fernanda Batista (advogada)

No início desta tarde, 1º, acompanhado da assessora de Imprensa, Karina Camargo, e da advogada dra. Fernanda Batista Luiz, Francisco Procópio recebeu a reportagem do TERRATAVARES em sua sala. Ainda se recuperando da cirurgia recente que fez, se dispôs a falar do episódio que movimentou a politica em Salto nesta semana. Procópio afirmou que trabalhava na Moratta desde 2016, e que estava trabalhando durante alguns anos para venda uma área localizada no Jd. Santa Cruz e que no ano passado a venda efetivamente ocorreu. "É minha vida antes do governo. Além de tudo, quando começou a campanha, eu deixei claro isso para o grupo que tinha duas áreas grandes que eu estava negociando e não iria abrir mão".

O secretario afirma que ainda não recebeu a sua comissão da corretagem, pois ainda estão desenvolvendo o projeto. Com relação as visitas em seu gabinete do pessoal da Umbrella Gestão Patrimonial, declarou a nossa equipe que, como outros empreendedores, eles estariam querendo saber das novas regras dos loteamentos e foram orientados a aguardar as novas diretrizes e assim aconteceu. Toda a situação da denúncia na visão do secretário, seria em razão do Decreto 111/2021, que suspende novos loteamentos na cidade. "Eu vejo que a questão toda é assim, tem empreendedor que vem aqui e depois vai chorar as pitangas com o Laerte. Numa serie de situações que acompanhei o Nivaldo (Secretário de Desenvolvimento Urbano) e reforçamos a decisão. Queremos nortear a cidade para o bem. O que custa esperar seis meses para o empreendedor? Não tem água, não tem planejamento para a educação, só olha para o empreendimento e a cidade perde, o déficit fica com a gente", disparou Procópio.

Uma das falhas da denúncia apontadas por Procópio sobre o empreendimento, objeto da possível corrupção e exceção de liberação em Salto, é que o mesmo ainda não deu entrada na prefeitura, e por si só este fato mostra a intenção caluniosa dos autores.

A cidade cresce de uma forma com discrepância, temos empresas no meio da cidade. O que der para normatizar vamos, e isso mexe com quem quer ganhar dinheiro, Francisco Procopio - Secretário de Governo de Salto.

Um dos pontos da denúncia trata do pagamento da faculdade de sua filha em dinheiro vivo, e Procópio afirmou que gostaria de saber deste pagamento e negou que isto tenha ocorrido. Os demais nomes citados na denúncia, como "Marinho", da Marinho Participações foi repelido por ele "não tenho amizade e nunca o vi aqui dentro, isso foi criado".

Procópio ainda disse que gostaria que quem fez as acusações apresentasse as provas, e que como sabe que não tem, está muito tranquilo com tudo. Esta tranquilidade não significa que o secretario não ira tomar as medidas cabíveis, tanto que diversos nomes que replicaram a notícia foram citados no Boletim de Ocorrência feito por ele nesta quarta, 30.


"Criaram este troço, 5 chips não existe, eu tenho só o meu pessoal", rebatendo mais uma acusação da denúncia. Procópio destacou que nenhum empreendimento teve exceção e citou quem não é da competência de sua pasta a aprovação, mas sim Desenvolvimento Urbano. "Ele, Nivaldo, tem toda liberdade e vamos endossar. A gente conversa, mas a decisão é dele. Por vontade eu prorrogaria o decreto. Tem varias coisas ainda para normatizar, é uma discussão".

Procópio afirmou que nunca houve dinheiro vivo dentro de seu gabinete como afirma a denúncia, mas que sim, já recebeu diversas ofertas de propina, mas que nunca aceitou. Provocado por nossa equipe se ele iria de livre vontade comparecer a Câmara de Vereadores para dar explicações, Procópio afirmou que não, somente se for convocado, "de livre vontade não vou, mas se me convocarem irei", e destacou que até o momento o prefeito Laerte Sonsin Jr. não se manifestou publicamente acerca dos fatos, pois no entendimento do prefeito, isso é algo pessoal e não de governo.

DENÚNCIA NÃO E NOVIDADE PARA O GOVERNO

A denúncia que rolou nos grupos do whatsapp esta semana envolvendo o nome do Secretário de Governo Francisco Procópio foi uma surpresa apenas para quem está fora da Abadia de São Norberto. Em 20 de julho a mesma denúncia, com o mesmo teor de mensagem foi feita ao Ministério Público de Salto e já era de conhecimento do prefeito Laerte Sonsin Jr. e de sua equipe. Foram duas denúncias enviadas por e-mail ao MP com teor semelhante e que não convenceram o promotor Dr. Luiz Fernando Guinsberg, que em seu despacho datado em 27 de agosto, destacou que não há, por ora, elementos que confiram um mínimo de credibilidade à narrativa apresentada. Segue o promotor afirmando: "que o único elemento de convicção que instrui a denúncia é uma suposta mensagem, e que não há provas que essa fora enviada pelo Secretário de Governo, e que embora conste uma foto no ícone do Secretário, qualquer um poderia ter criado um perfil com a imagem e encaminhado a mensagem".

A promotoria reforçou ainda em seu despacho que o Decreto 111/2021 e que se o mesmo estiver em vigor a representação não faz qualquer sentido, a não ser que tenha sido descumprido mediante a aprovação ilegal de algum empreendimento na cidade. Estes questionamentos pertinentes ao decreto foram enviados ao gabinete do prefeito Laerte Sonsin Jr., e negados pela administração municipal. Nos resta aguardar. Como afirmou Procópio, ele irá avançar com o assunto na busca da identificação do autor do que ele chama de Fakenews e que diversos nomes virão a tona e tudo será esclarecido.

Um ponto que merece ressalva neste caso é que sim, este é um caso do governo. Quando um cidadão público, tem seu nome envolvido em uma denúncia de dinheiro vivo dentro da sede da Prefeitura Municipal, ocupando a maior das secretarias, sim, é um caso de governo. O silêncio em demasia atrapalha e cria dúvidas. Contra a verdade somente argumentos prevalecem.