Denúncia anônima envolve Secretário de Governo e o vereador Cordeiro quer convocar Francisco Procópio para dar explicações

Malas de dinheiro, pagamento de faculdades, propina de loteamentos são algumas das acusações | Secretário se manifesta e nega tudo.

Francisco José Procópio, Secretário de Governo de Salto

Francisco José Procópio, Secretário de Governo de Salto

A temperatura subiu de vez nos bastidores da política saltense. Uma denúncia anônima citando um esquema de corrupção que envolveria uma imobiliária da cidade onde o agora secretario atuou como corretor de imóveis, um loteamento imobiliário e pessoas chamadas de lobistas/mula, foi amplamente divulgado para os celulares de vereadores, imprensa e outras pessoas do governo. O autor anônimo cita ainda que dinheiro vivo estaria sendo recebido pelo secretário de Governo, Francisco José Procópio, dentro de seu gabinete na prefeitura.

A denúncia é muito grave. Ela trata da principal secretaria existente na estrutura do executivo. Um cargo que normalmente é ocupado por alguém de extrema confiança do prefeito. A denúncia em momento algum cita o nome do prefeito Laerte Sonsin ou do vice-prefeito Edemilson Santos, mas detalha pagamentos de anuidade de faculdades, em espécie, da filha do secretário.

Vereadores consultados pelo TERRATAVARES já demonstraram preocupação com o caso. "Este caso terá impacto direto no governo se não for muito bem explicada", comentou um vereador. A mensagem foi recebida pelos vereadores no início da sessão legislativa desta terça, 28, e o vereador Cordeiro foi o único que publicamente falou do assunto quando pediu aos vereadores apoio para um requerimento de convocação do secretário para dar explicações à Casa de Leis. O correto para minimizar qualquer impacto, seria o próprio secretário se voluntariar a ir à Câmara para dar explicações, já que quem nada deve, não deve temer.

SECRETÁRIO SE PRONUNCIA NAS REDES SOCIAIS

O TERRATAVARES levou questionamento da posição do secretário Francisco Procópio com relação as denúncias, porém, não obtivemos o retorno. Em sua timeline, na rede social, Procópio afirmou que a respeito dos conteúdos que envolvem seu nome e estão sendo divulgados de forma anônima por meios digitais, "venho a público esclarecer que se tratam de boatos, portanto falsos e caluniosos, com propósitos, assim como a natureza dessa divulgação, obscuros e maldosos, envolvendo, ainda, terceiros idôneos. Por isso, medidas judiciais estão sendo tomadas para coibir e responsabilizar os atores dessa prática, já que, tanto a criação, como a divulgação de falsa notícia é crime."



DA REDAÇÃO: A nota chegou ao TERRATAVARES, minutos após a publicação da matéria.